Continental Tagline
Suggestions
Quarter 4
© Continental AG

Após o sucesso de 2015: a Continental expande intensivamente o futuro digital sobre uma excelente base financeira

  • O resultado líquido melhora para 2,7 mil milhões de euros/13,64 euros por ação
  • Proposta da Direção: aumento dos dividendos em 15% para 3,75 euros
  • Free Cashflow antes das aquisições de 2,7 mil milhões de euros claramente acima do nível do ano anterior
  • Aumento do capital próprio como base para novos modelos de negócios digitais
  • EBIT a 4,1 mil milhões de euros/margem de EBIT de 10,5%

Hannover, 3 de março de 2016. A empresa tecnológica Continental alarga claramente a sua margem de manobra financeira com o sucesso do ano fiscal de 2015. “A Continental está no seu melhor. Com o nosso modelo de negócios comprovado, conseguimos, em 2015, um Free Cashflow antes das aquisições de 2,7 mil milhões de euros. Aumentámos o nosso capital próprio para 13,2 mil milhões de euros, conseguindo assim o melhor resultado de sempre. Consequentemente, temos capacidade para agir de forma organizada e vigorosa num ambiente exigente e influenciar consideravelmente o futuro digital da mobilidade com as nossas inovações”, declarou o Presidente do Conselho Administrativo da Continental, Dr. Elmar Degenhart, na apresentação dos resultados provisórios do ano fiscal de 2015 na quinta-feira em Hannover.

© Continental AG

“A partir de uma forte posição financeira, abordamos os grandes desafios atuais com a agilidade típica da Continental. Nestes estão sobretudo incluídos os mercados voláteis, bem como as oscilações dos preços das matérias-primas e das taxas de câmbio. Para o ano fiscal de 2016, e comparando com o ano anterior, esperamos um crescimento rentável e orgânico semelhante, de aproximadamente 5%. Neste ano, pretendemos aproveitar, de forma consistente e focada, todas as oportunidades no âmbito de novos conceitos de mobilidade digitais. O nosso objetivo é um desenvolvimento inteligente do nosso modelo de negócios bem-sucedido, conseguindo assim de forma inovadora novos campos de negócios e clientes”, explicou Degenhart. “O início do ano confirma as expetativas para 2016, num ambiente difícil”, acrescentou o mesmo.

O Presidente do Conselho Administrativo da Continental mostrou-se feliz com o sucesso do ano fiscal de 2015: “Num contexto exigente, voltámos a comprovar a nossa rentabilidade e capacidade de crescimento. No total, conseguimos um excelente resultado, com um lucro obtido depois dos impostos de 2,7 mil milhões de euros. Isto corresponde por ação a 13,64 euros, 15% mais do que no ano anterior. Assim, a Direção propõe novamente um aumento dos dividendos e um pagamento de 3,75 euros por ação. Isto corresponde a 750 milhões de euros e a uma quota de distribuição de 27,5%.”

O Diretor Financeiro da Continental, Wolfgang Schäfer, salientou que, em 2015, a empresa tecnológica conseguiu atingir de forma segura os seus objetivos anuais, ultrapassando-os até parcialmente de forma considerável: o volume de vendas subiu mais de 4,7 mil milhões de euros, isto é, cerca de 14%, para 39,2 mil milhões de euros. No ano fiscal de 2015, o resultado operacional (EBIT) aumentou 23%, em comparação com o ano anterior, para 4,1 mil milhões de euros. A margem de EBIT situou-se em 10,5% depois de ter registado 9,7% no ano de 2014. Em 2015, o EBIT ajustado, principalmente em função dos efeitos dos perímetros de consolidação, das amortizações condicionadas pelas aquisições e dos efeitos especiais, aumentou 15,3% em comparação com o ano anterior, para 4,5 mil milhões de euros. A quota referente ao volume de vendas ajustado foi de 11,8% depois de 11,2% no ano de 2014.

No que diz respeito ao atual ano fiscal, a Continental conta com um crescimento semelhante ao de 2015: “Prevemos um crescimento orgânico de 5% para cerca de 41 mil milhões de euros. Desta forma, voltaríamos a crescer mais rapidamente do que o mercado graças às nossas soluções inovadoras no setor de sistemas eletrónicos, sensores e software, bem como aos nossos produtos industriais e pneus. Pretendemos conseguir novamente uma margem de EBIT ajustada superior a 10,5%”, comunicou Schäfer. “O aumento orgânico do volume de vendas de 5% pode ser comparado aos cerca de 4% conseguidos no ano de 2015. Os efeitos das taxas de câmbio e as contribuições do volume de vendas com base em aquisições não são aqui considerados. Ambos os efeitos aumentaram o volume de vendas em mais 10%, em 2015. Obteve-se assim um aumento do volume de vendas de, no total, 14%”, anunciou Schäfer.

A Continental está a prever apenas uma subida moderada de 1,5% da produção de veículos a nível mundial, para quase 90 milhões de unidades. Os pontos fracos dos mercados na Rússia e no Brasil são novamente sobrecompensados através do crescimento do mercado automóvel na Europa e na China.

Free Cashflow anterior às aquisições aumentou visivelmente mais de 500 milhões de euros para 2,7 mil milhões de euros em comparação com o ano anterior. “Apesar das saídas para aquisições, com um total superior a 1,2 mil milhões de euros, principalmente para a Veyance Technologies e a Elektrobit Automotive, o Free Cashflow após as aquisições ascende a 1,4 mil milhões de euros em 2015”, salientou Schäfer.

As dívidas financeiras líquidas aumentaram um pouco mais de 700 milhões de euros para 3,5 mil milhões de euros face ao final de 2014. O Gearing Ratio aumentou apenas ligeiramente para 26,8% comparando com o valor do ano anterior (25,6%). Isto deve-se essencialmente às aquisições da Veyance Technologies e da Elektrobit Automotive.

No final de 2015, a Continental dispunha de uma reserva de liquidez de, no total, 5,2 mil milhões de euros, dos quais cerca de 1,6 mil milhões eram ativos líquidos, bem como linhas de crédito não utilizadas e aprovadas de 3,6 mil milhões de euros. Face ao final de 2014, obtém-se uma diminuição da liquidez de 2,0 mil milhões de euros. “Os motivos para tal são, essencialmente, as aquisições da Veyance Technologies e da Elektrobit Automotive, o pagamento antecipado do empréstimo em dólares americanos em meados de setembro e o reembolso do empréstimo sindicalizado de 1,5 mil milhões de euros para 350 milhões de euros”, explicou Schäfer. “Para uma empresa com a dimensão e a estrutura da Continental, este valor é mais do que suficiente”, acrescentou Schäfer.

Em comparação com o ano anterior, as despesas com juros diminuíram 19 milhões de euros, para 341 milhões de euros. O resultado negativo dos juros melhorou em 20 milhões de euros em 2015, em comparação com o ano passado, para 246 milhões de euros.

Os impostos sobre o rendimento do exercício foram de 1,1 mil milhões de euros no ano fiscal de 2015. A taxa de imposto foi de 28,2%. No ano fiscal de 2016, está previsto que a taxa de imposto se situe em cerca de 30%.

Em 2015, a Continental investiu 2,2 mil milhões de euros em equipamentos e software. Assim, o rácio de investimento equivale a 5,6%, depois dos 5,9% no ano anterior. As despesas com investigação e desenvolvimento aumentaram, face ao ano anterior, cerca de 14,6% para mais de 2,4 mil milhões de euros, perfazendo 6,2% do volume de vendas, tal como no ano anterior.

O desempenho positivo do negócio também é evidenciado pelo número crescente de colaboradores: no final de 2015, a empresa tecnológica contava com cerca de 208 000 colaboradores, ou seja, mais de 19 000 do que no ano anterior. Além do aumento da produção, isto deve-se sobretudo às aquisições da Elektrobit Automotive e da Veyance Technologies.

Números do grupo Continental (em milhões de euros)

2015

2014

D em %

Volume de vendas

39 232,0

34 505,7

13,7

EBITDA

6001,4

5133,8

16,9

em % do volume de vendas

15,3

14,9

 

EBIT

4115,6

3344,8

23,0

em % do volume de vendas

10,5

9,7

 

Resultado financeiro do grupo atribuível aos acionistas

2727,4

2375,3

14,8

Resultado por ação (em €)

13,64

11,88

14,8

Custos de investigação e desenvolvimento

2449,6

2137,7

14,6

em % do volume de vendas

6,2

6,2

 

Amortizações1

1885,8

1789,0

5,4

– das quais desvalorizações2

93,6

178,9

-47,7

Ativos operacionais (em 31/12)

19 678,5

16 596,1

18,6

Ativos operacionais (média)

19 680,7

16 726,5

17,7

Retorno sobre o investimento (ROCE)

20,9

20,0

 

Investimentos3

2178,8

2045,4

6,5

em % do volume de vendas

5,6

5,9

 

Número de colaboradores (em 31/12)4

207 899

189 168

9,9

 

 

 

 

Volume de vendas ajustado5

37 774,7

34 495,8

9,5

Resultado operacional ajustado (EBIT ajustado)6

4455,5

3865,9

15,3

em % do volume de vendas ajustado

11,8

11,2

 

Contactar

Henry Schniewind

Henry Schniewind Porta-voz de Economia & Finanças da Continental AG Telefone: +49 511 938-1278 Telemóvel: +49 (0) 151 688 64 262 E-mail: